Grupo de Orações online

Você e os de sua casa (Devocional – 18-Jan)

“Eles responderam: Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa.” (Atos 16.31)

Dev215Para sermos de fato cristãos é fundamental uma experiência pessoal, uma escolha pessoal de fé. Não somos cristãos simplesmente porque nos batizamos em alguma igreja, seja Católica ou protestante. No passado os cartórios usavam uma frase que dizia: “O batismos faz o cristão e a certidão faz o cidadão”. A ideia era ressaltar a importância do registro infantil. Mas o fato é que nem uma coisa nem outra são verdadeiras. O batismos e a certidão são importantes, mas não são bastantes e, por isso mesmo, não são atestados de que somos cristãos ou cidadãos. É preciso bem mais que isso. Assim como um verdadeiro cidadão que é uma boa influência em sua sociedade e nela faz diferença, um cristão verdadeiro também é um poder de influência, onde quer que esteja.

Ao longo da história a fé cristã tem sido passada de pessoa para pessoa. Há quem tenha seu momento de transformação interior sozinho, por meio da leitura das Escrituras ou de alguma experiência com o amor e bondade de Deus, mas a maioria conhece o poder da graça de Cristo por meio de outra pessoa. As formas são as mais diversas. Mas fica claro que cada cristão pode e deve ser uma manifestação do Evangelho de Cristo e, em especial, em sua própria casa. O texto de hoje retrata o que Paulo disse a um carcereiro macedônio. A leitura de Atos 16 lhe dará o quadro completo, que é muito interessante. Diante das atitudes do apóstolo ele lhe perguntou: “que devo fazer para ser salvo?”. “Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e dos de sua casa”, respondeu Paulo. Não se trata de uma salvação coletiva por meio de uma pessoa, mas do poder do Evangelho de Jesus de salvar muitos, começando por um. Este me parece ser é o sentido do que Paulo disse.

Se um cristão pode influenciar positivamente uma sociedade, imagine sua própria casa! Mas é preciso que manifestemos o que verdadeiramente é ser um cristão. É preciso que revelemos o poder da graça de Jesus em nós, mudando nossas atitudes e prioridades. É preciso que revelemos, sobretudo, amor. Amor à Deus e ao nosso próximo. Tenho visto muitos pais religiosos levando seus filhos a sofrimentos por causa de sua religiosidade. Em lugar de conquista-los, afastam-nos, alcançando o oposto do que pretendiam. Há também cristãos que agem verdadeiramente como cristãos, mas nem por isso seus familiares o seguem na fé, pois cada pessoa é livre diante de Deus. Mas, para cada cristão, há um dever: ser um sinal do Reino de Deus em todo lugar, especialmente dentro sua casa. Em 2016, desejo que sua fé em Cristo se revele uma benção para sua família. Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com você.