Grupo de Orações online

Submissão e voluntariedade (Devocional 03 de Junho)

“Respondeu Abraão: ‘Deus mesmo há de prover o cordeiro para o holocausto, meu filho’. E os dois continuaram a caminhar juntos.” (Gênesis 22.8)

“Não temos o cordeiro para o holocausto, meu filho, porque isso ficou sob a responsabilidade de Deus. O cordeiro do holocausto será o que Ele quiser e não o que nós quisermos!” Abraão estava ali em obediência a Deus. Não foi uma ideia sua, foi um pedido de Deus. Não era um ato de voluntariedade, era um ato de submissão. Em nossa vida de fé a voluntariedade é muito importante, mas não há cristianismo verdadeiro sem a submissão. Nas muitas vezes que li este verso, o compreendi como simplesmente uma resposta evasiva de Abraão. Uma desculpa para sair da situação. Mas recentemente passei a compreende-lo sob outro prisma. O que Abraão estava mudando todo seu modo de ver e reagir à vida! Ele estava além da voluntariedade. Ele estava no solo da submissão.

Na voluntariedade oferecemos a Deus o que queremos. Na submissão, o que Deus quer. Para a maioria de nós a espiritualidade mal chegou ao nível da voluntariedade e muito distante está da submissão. Por isso é tão comum que nosso relacionamento com Deus esteja baseado em nossas expectativas de que Ele faça o que pedimos. Queremos que Deus faça a nossa vontade! Fazemos planos, tomamos decisões, perseguimos os próprios objetivos e oramos. Pedimos que outros nos ajudem a pedir que tudo aconteça conforme queremos. E muitas vezes chamamos a nossa vontade de “vontade de Deus”. Podemos e devemos pedir, dizer a Deus qual a nossa vontade. Mas devemos ter clareza de que é a nossa e não a dEle. E devemos aprender a buscar a vontade de Deus.

Jesus orou: “Não seja como eu quero, mas como Tu queres” (Mt 26.39). Ele nos avisou que seria necessário abrir mão da nossa vontade (Lc 9.23). O exemplos bíblicos dos que viveram pela fé revelam pessoas que não tiveram tudo sob controle e que precisaram confiar e obedecer, dando um passo de cada vez. Na maioria das vezes não se sentiram poderosos fazendo o que Deus queria, mas frágeis! Aprenderam a submissão. O desafio era ouvir a Deus e fazer Sua vontade, e não o de ser ouvido por Deus e ter a própria vontade realizada. Na fé cristã, no seguimento a Jesus, não basta voluntariedade. É preciso submissão! Fazer a vontade de Deus e oferecer a Ele o cordeiro que Ele nos pede, e não o cordeiro que nos pareça viável. Na voluntariedade nos revelamos. Na submissão, Deus se revela a nós. E o cristão é alguém que conhece a Deus e não apenas a si mesmo!

Será que estamos fazendo a vontade de Deus ou criando a nossa realidade distante Dele?

Shalom amados irmãos.