Grupo de Orações online

Porque Deus nos ama (Devocional Diária – 28-Set)

“Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção.” (Efésios 4.30)

Este verso inesperadamente revestiu-se de um valor e significado profundos para mim nestes últimos dias. Sempre o li considerando-o uma afirmação dos meus deveres. Logo me vinham à mente as coisas que eu poderia fazer e com elas entristecer o Espírito Santo. Ele mais me parecia um peso, uma obrigação, do que uma benção. João escreveu em sua primeira carta que o amor a Deus consiste em guardar os seus mandamentos e que os mandamentos de Deus não são pesados (1 Jo 5.3). Até estes dias não me parecia bem assim. Agora começo a ver um pouco diferente.

O que me tem feito mudar é a compreensão do que significa ser alguém com a capacidade de entristecer o Espírito de Deus. Deus se entristece com nossos erros porque nos ama! Ele nos selou com Seu Espírito para nos revelar e nos fortalecer com Seu amor. O Espírito Santo não é um guarda à espreita, observando para ver quando falhamos! Se fosse, nossos erros despertariam sua ira! Mas porque nos ama, causa-lhe tristeza. A ira é fruto da cobrança, de quem está ali por causa da regra, da norma. A tristeza é fruto do amor, de quem está ali por causa de nós, em favor de nós. O Espírito Santo jamais está contra nós. Ele é o Espírito do nosso Amigo, em quem a gente pode confiar – Jesus.

Por isso João disse que os mandamentos de Deus não são pesados, porque eles são expressões de Seu amor, de seu interesse por nós, e visam nosso bem. Sua razão não é melhorar a vida de Deus, mas a nossa! A leveza de seus benefícios por serem motivados pelo amor de Deus, superam e compensam qualquer peso que possam representar quando precisamos obedece-los! Os mandamentos humanos são de outro tipo, visam o controle Mas os de Deus são vida, alegria e paz. Desfrute hoje o amor de Deus observando Seus mandamentos. Em suas escolhas e decisões, opte por não entristecer o Espírito de Deus. Esse é o caminho de alegrar verdadeiramente seu próprio coração.