Grupo de Orações online

Pessoas que lembram Deus (Devocional Diária – 31-Out)

“O semeador saiu a semear… e parte caiu em boa terra e deu fruto” (Lucas 8.5 e 8)

Deus semeia Seu Reino em nós para que haja frutos. Que terra somos para a semente? O fato de a semente ser lançada em todo tipo de solo não é porque Deus se iluda conosco ou não se importe com a sementes, mas porque Ele não despreza ninguém. Ele não rejeita o solo antecipadamente. Deus não nos julga de antemão! Ele nos oferece oportunidades. Ele é um semeador constante, persistente e paciente. Cheio de boa vontade. Ele oferece a semente do Reino a todos nós e ao longo de toda nossa vida. Podemos ser a boa terra, em que a semente germina, vira planta, cresce e dá frutos. Frutos de um tipo especial, que nos faz pessoas que lembram Deus.

Alguns pensam que a semente do Reino é outra coisa, um tipo que alimenta o ego, que promete saciar nossa fome de riqueza e poder. A fé cristã tem sido mercantilizada com este tipo de propaganda, que produz príncipes e princesas em lugar de servos e servas, que multiplica luxos e mimos e revela completa escassez de bacias e toalhas. Isso é um grave desvio pois a os frutos do Reino são manifestações do fruto do Espírito: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gl 5.22-23). Eles não promovem nossa exaltação, mas a de Cristo. Não fazem crescer nossa ambição, mas nossa generosidade. Realçam os valores do Reino, não os dos homens.

Os frutos do Reino em nós nos tornam sinais da presença de Deus. Isso significa que nos revelamos um tipo de pessoa que visivelmente está amadurecendo, que está “deixando as coisas de menino” (1Co 13.11) e aprendendo a agir como adulto, com amor e motivadas pelo amor. Pessoas capazes para servir, como Jesus. Pessoas que se sentem livres e nem por isso são libertinas, ao contrário. São equilibradas e revelam bom senso. Pessoas que encantam. Não pela perfeição, mas pela saúde. Não pela dureza, mas pela leveza e simplicidade. De fato, pessoas que nos lembram Deus! Elas não produzem frutos, elas são o terreno onde o Reino frutifica. Coisa divina na vida humana. Que estejamos entre elas!