Grupo de Orações online

O Deus que amou Israel (Devocional – 11 de Julho)

“Você, porém, ó Israel, meu servo, Jacó, a quem escolhi, vocês, descendentes de Abraão, meu amigo, eu os tirei dos confins da terra, de seus recantos mais distantes eu os chamei. Eu disse: ‘Você é meu servo’; eu o escolhi e não o rejeitei.”  (Isaías 41.8-9)

As Escrituras cumprem em nossa vida, como cristãos, o papel de Revelação de Deus. Aprendemos sobre Deus a partir das experiências que pessoas tiveram com Ele. No caso dos profetas, recebemos de seus lábios declarações em nome do próprio Deus, como a que temos hoje. E assim podemos compreender que o Deus das Escrituras nos conhece e tem propósitos para nós. Aprendemos que, assim como agiu na vida de outros, pode agir na nossa. Nas Escrituras aprendemos a reconhecer que nossa história conta e pode contar com a ação de Deus. O Deus que se revela nas Escrituras, agindo de tantas formas em favor de Israel e declarando por aquela nação o Seu amor, nos faz compreender por meio da história daquelas pessoas que também somos amados e também podemos tê-lo caminhando conosco em nossa história.

Ele chamou aquele povo de “servo” e disse que o escolheu. Deixou claro que conhecia a origem dele, sua genealogia. Falou de Abraão, ancestral dele, e disse que tratava-se de Seu amigo. Filhos podem beneficiar-se da história de seus pais com Deus e uma geração, da ação de Deus na geração anterior. Lembrou-lhe que estava onde estava porque Ele mesmo o havia trazido de longe, dos confins da terra, para um novo lugar. Não foi um acaso a história que Israel teve. Ela contou com a participação de Deus. E não ficam dúvidas quanto a relação que Ele, Deus, tinha com ele, Israel: “Você é meu servo, eu o escolhi e não o rejeitei.” Tudo isso nos revela aspectos possíveis para nossa vida. Tudo isso são indicativos de que, como Israel, também podemos viver envolvidos com Deus e sendo guiados por Ele.

Se queremos saber o que Deus pensa sobre nós, podemos olhar para o que nos permite saber a respeito de Seu relacionamento com Israel, por exemplo. Sua relação com Israel é uma metáfora do que pode ser nossa relação com Ele. Mas somente experimentaremos isso se crermos. Ele sabe como lidar com nossos pecados, pode nos levar a um novo lugar em nossa existência, seja físico, moral, emocional ou espiritual. Podemos contar com Seu cuidado e proteção. Mas devemos escolher confiar em Seu amor e em Suas intenções para conosco. Reconhecer Sua bondade e cuidado. Como os israelitas, somos fracos e falhos, mas Ele nos ama. Como eles, falhamos em andar como devíamos, mas Ele, graciosamente, permanece fiel ao Seu chamado a nós e persistentemente nos conduz a Si mesmo. Creio nisso. Você crê?