Grupo de Orações online

Missão: Amar (Devocional – 07 de Junho)

“O amor deve ser sincero. Odeiem o que é mau; apeguem-se ao que é bom. Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios.” (Romanos 12.9-10)

O sinal mais evidente e autêntico da fé cristã são os nossos relacionamentos. Não é a única evidência, mas das evidências, é certamente a mais importante. Jesus declarou que seus discípulos seriam reconhecidos pelo amor, pelos relacionamentos (Jo 13.35). Não são os ritos ou as liturgias e muito menos as regras que observamos que nos fazem cristãos. , embora em nossa forma de cultuar e no cuidado com nosso procedimento possamos ter ritos, liturgias e regras. Porem, a questão central é: onde está o seu irmão? A mesma pergunta feita por Deus a Cain (Gn 4.9). Quando Deus a faz a ele, o mal já havia sido praticado. O mal que coloca em risco o outro, a exemplo de Cain, brota dentro de nós. Se, em lugar de cortá-lo pela raiz lhe damos espaço, fracassamos em nossa mais elevada missão: amar! Esse fracasso é, na prática, a negação a Jesus e à nossa identidade como cristãos!

Amar é nossa missão: amar a Deus e ao próximo! E devemos ter cuidado para que nosso amor não se corrompa. Ele deve ser sincero, verdadeiro. Não deve ser fruto de interesses e nem ser uma encenação: “Olá amado!” Fazendo do amor um clichê. Amar é coisa séria! Devemos odiar o mal, pois ele corrompe o amor e o nega. Precisamos da ajuda de Deus para que o mal não seja um agente oculto, ignorado. Pois o mal sempre faz o seu trabalho! Visto que amar é nossa missão, os piores males são os que alimentam e promovem a falta de amor. Entre eles: fofoca, amargura, divisões, invejas, orgulho, e coisas semelhantes. Devemos nos apegar ao que é bom como quem segura firme numa corda e dela depende para manter o equilíbrio. A misericórdia, a bondade, a amabilidade, a alergia, o domínio próprio, a paciência e coisas semelhantes exemplificam o que é bom! O que é bom é fruto do Espírito (Gl 5.22).

E se o amor a nossa missão, então o próximo é o nosso campo missionário! Por isso devemos nos dedicar uns aos outros com amor que acolhe, respeita e aceita: amor fraternal. Aprendendo a dar honra mais aos outros que a nós mesmos. Isso significa que não devemos ficar resumidos ao que nos interessa, à nossa vontade, mas privilegiar nosso próximo e servi-lo. Porém, alguém pode questionar: nossa missão não é anunciar o Evangelho, pregar Jesus e chamar pecadores ao arrependimento? Exatamente. Por isso precisamos amar. Pois o Evangelho é o amor de Deus de tal maneira. Somos chamados a amar e assim viver o Evangelho! Ainda que nada falemos, ele estará sendo anunciado. Mas, sem amor, ainda que falemos, ele estará sendo negado! Afinal, aquele que não ama, não conhece a Deus. Pois Deus é amor! (Jo 4.8) Viva sua missão: ame!