Grupo de Orações online

Maturidade (Devocional – 01 de Julho)

“Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.” (1 Coríntios 13.11)

Precisamos amadurecer. Isso é verdade para todo ser humano, em todas as áreas da vida, durante todo o tempo de vida. Amadurecer, entre outras coisas, significa ser capaz de lidar melhor com a vida, acertar mais nas prioridades e crescer em discernimento e sensatez. Amadurecer nem sempre será um processo natural, mas sim o fruto de escolhas e mudanças pelas quais optamos. As experiências serão importantes, mas não serão determinantes. Assim como o tempo. Mesmo com o passar do tempo e mesmo vivendo experiências, há pessoas fixadas em sua imaturidade, especialmente no campo espiritual. Maturidade espiritual não é um título e não depende de nosso desempenho religioso, do quanto sabemos fazer alguma coisa na igreja. Paulo está falando neste verso sobre maturidade. E seu tema é a maturidade espiritual.
A leitura da carta nos mostra o apóstolo ensinando e exortando os cristãos de Corinto na maneira como estavam vivendo sua espiritualidade, sua fé. Ele orienta sobre o modo como deveriam praticar a Ceia do Senhor, lidar com os falhas uns dos outros e como deveriam organizar suas reuniões. Fala de dons espirituais, línguas, profecias, revelações, e sobre o lugar de tudo isso na igreja. Mas chega um momento em que diz: mas há algo melhor que tudo isso, mais excelente, mais importante: o amor (1Co 12.31). Sem amor, tudo o mais perderia o sentido e não teria valor algum (1Co 13.1-3). Paulo fala do amor como o aspecto essencial da fé cristã e, por isso, o sinal da maturidade espiritual. Ao dizer “quando me tornei homem abandonei as coisas de menino”, Paulo estava falando sobre isso. Pessoas espiritualmente maduras são pessoas que amam.
Deus tem dons e vocações para cada cristão. Mas o amor é o dom e a vocação de todo cristão. Uma igreja pode existir sem manifestações sobrenaturais ou miraculosas e ainda assim ser uma igreja que honra a Cristo e manifesta o Reino de Deus. Mas se na igreja não houver amor, ainda que haja todo o resto, ela não honrará a Cristo e não manifestará o Reino de Deus. O mesmo aplica-se a cada cristão. Por isso o que devemos buscar é o amor. Nosso esforço deve ser o esforço para aprender a amar. O que mais Deus desejar nos dar, Ele dará. E será uma grande benção. Há pessoas buscando poder em lugar do amor. Seja o poder da posição, do dom ou do conhecimento, qualquer poder é um perigo nas mãos de uma criança! Um perigo para ela mesma e para os demais. Busquemos o amor e deixemos que seu poder nos transforme!
Assim, tudo mais será uma bênção para todos que O amam.
 Parem de pensar que podem enganar à Deus porque o Senhor abomina estas coisas.