Grupo de Orações online

Limpos de coração (Devocional – 19 de Março)

“Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus.” (Mateus 5.8)

O salmo 24 apresenta a seguinte pergunta: “Quem poderá apresentar-se diante do Senhor?” O próprio salmista lista alguns requisitos e entre eles “aquele que tem o coração puro” (v.4). Ele está antecipando a palavra de Jesus nesta bem-aventurança. Diz Jesus que são muito felizes os que têm um coração puro, pois verão a Deus. Quem de nós o tem? E o que é ele? Jeremias disse algo terrível sobre o nosso coração: “O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?” (Jr 17.9) Atribui-se a Blaise Pascal a frase: “O coração tem razões que a própria razão desconhece.” Coisas que indicam que nosso coração nos surpreenderá negativamente em algum momento. E aos outros, nem se fala! Como podemos viver a bem-aventurança de um coração puro?

Deus, na voz da sabedoria do livro de Provérbios, nos pede para entregarmos a Ele o nosso coração: “Filho, dá-me o teu coração e mantenha seus olhos nos meus caminhos.” (Pv 23.26) Um coração puro é fruto da convivência e submissão a Deus. É pela influência de Sua presença que verdadeiras mudanças acontecem em nossa vida. Aquelas que são profundas, levando a mudanças de dentro para fora. Mudanças fundamentadas no amor a Deus e ao próximo e não em regras ou medos. Nosso coração é de fato confuso e propenso a caminhos equivocados, mas Deus nos ama e é cheio de bondade. Quando gente como nós encontra-se verdadeiramente com o Deus que Ele é, adivinhe quem muda? É claro que não é Deus. E então poderemos conhecer um pouco do que seja um coração puro.

Deixaremos a maldade de lado  e perceberemos o quanto agir mal nos faz maus. Um coração puro nos leva a reprovar o mal em nós, primeiramente: não é assim que eu quero ser. E isso é obra do Espírito de Deus. Diante de Deus e entregues a Ele nosso coração seguirá a caminho da pureza, ainda que lentamente, e nossos olhos verão melhor a vida e a Deus. E quando mais O virmos, mais desejaremos ser uma outra pessoa. E isso não é perder a identidade, é restaurá-la. Bem-aventurança! Seremos mais confiáveis em nossas palavras, em nosso sorrido e em nosso olhar. Ainda seremos limitados e falhos, mas nosso coração será cada vez mais puro e nossos olhos cada vez mais verão a Deus. Como não ser felizes?