Grupo de Orações online

Gente é o que mais importa (Devocional Diária – 21-Dez)

“Então o Senhor perguntou a Caim: Onde está seu irmão Abel? Respondeu ele: Não sei; sou eu o responsável por meu irmão?” (Gênesis 4.9)

Imagino que você conheça esse diálogo. No relato bíblico ele aparece imediatamente após ao relato da queda. O primeiro capítulo da Bíblia narra a criação de todas as coisas e o segundo é uma repetição do primeiro, mas, com uma perspectiva diferente. Ele começa a partir do sétimo dia e dá detalhes, especialmente sobre a criação e a vida do ser humano, criado à imagem e semelhança do Criador. O Criador prepara um lugar para ele viver e lhe dá responsabilidades e privilégios. A natureza lhe é entregue para que cuide e governe. E, em meio a tudo isso, o Criador declara: a solidão não é boa para o ser humano. Precisamos de companhia nos deu. Alguém equivalente, para compartilhar a vida. Eles tem a mesma carne e os mesmos ossos. No capítulo 3 temos a queda, a desobediência, e no quarto capítulo iniciam-se os relatos da história dos pecadores, da qual eu e você fazemos parte.

E a história não começa bem. Por ciúmes, ou talvez inveja, um irmão mata o outro. Cain mata Abel. Cain não se relacionou corretamente com Deus e isso de alguma forma o desorientou na relação com seu irmão Abel (Gn 4.1-7). Interessante: o mandamento de amar envolve Deus e o nosso próximo (Mt 22.36-40) e não há amor a Deus sem amor ao próximo (1Jo 4.20-21). Por outro lado, se não amamos a Deus, não sabemos lidar com o próximo. E, de alguma forma, nos tornamos vítimas uns dos outros. A pergunta de Deus a Cain é fundamental e ninguém poderá escapar dela. Temos e sempre teremos responsabilidades uns em relação aos outros. Estamos todos conectados e temos o dever de respeitar, amar, perdoar, apoiar e servir uns aos outros. Não temos o direito de tirar a vida uns dos outros e temos o dever de apoiar a vida uns dos outros. Viver como quem não tem essa responsabilidade é transgressão e responderemos por isso. Nossa agressão e nosso desinteresse não passam despercebidos por Deus.

“Sou eu o responsável por meu irmão?” Sim, sou. Sim, somos. E sempre seremos! E o Reino de Deus chegou para nos dar consciência disso. Por isso não há fé cristã sem amor ao próximo. Não há verdadeiro serviço cristão sem serviço ao próximo. Não é cristão o serviço feito a uma causa que seja partidarista, exclusivista e que promova a exclusão, o desinteresse pelo outro. No Reino de Deus o próprio Rei dá o exemplo e convida pecadores, interessa-se pelos cansados e sobrecarregados. Ele envia Seus mensageiros e convida para Seu banquete pessoas desprezadas, desconhecidas, gente marginal (Lc 14.23). É um Reino em que uma vida tem mais valor do que todas as coisas do mundo (Mt 16.26). Se você é parte desse Reino, não o é por mérito, mas por graça e amor. Mas é preciso entender: é impossível, completamente impossível, ser parte dele e ao mesmo tempo escolher não amar, não perdoar ou não servir ao semelhante. Pois, neste Reino, gente é o que mais importa!