Grupo de Orações online

Ego (Devocional Diária – 11-Out)

“Um pouco antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que havia chegado o tempo em que deixaria este mundo e iria para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.” (João 13.1)

O capítulo 13 do Evangelho de João é muito desafiador para nós. Como os discípulos que andaram com Jesus e estavam sempre ocupados discutindo quem deles era o maior, o mais importante, também temos problema com nosso ego. A igreja cristã elegeu a sexualidade humana como a grande vilã da história, tornando os pecados relacionados à sexualidade quase sempre um escândalo e levando cristãos, especialmente líderes, a perderem seus direitos dentro de igrejas e organizações cristãs. Por outro lado, o orgulho, a auto exaltação, a dureza de coração e tantos outros sintomas do ego desviado de Cristo, passam sem grandes problemas.

Jesus sabia que havia chegado o tempo em que deixaria este mundo, escreveu João. Ele sabia que a cruz estava próxima e que seus discípulos o abandonariam, embora viessem a jurar fidelidade, mesmo diante da morte! Jesus sabia que não guardariam a promessa. Sabia da dor e vergonha que enfrentaria. O pior estava para acontecer e nestas condições naturalmente nos tornamos egoístas. Pensamos em nós mesmos e nos tornamos intolerantes com os outros. Sob pressão nos irritamos facilmente e ficamos mais prontos para agredir do que que para se deixar agredir. Jesus não seguiu este padrão. Tendo todas as razões para ser egoísta, Ele foi altruísta. Amou os seus discípulos e os amou até o fim.

No momento mais difícil Jesus não pediu para si, Ele deu de si. Como cristãos, seus seguidores, precisamos perceber e lutar para aprender essa lição. Nosso ego é muito perigoso e precisamos decidir lidar com ele antecipadamente, antes que ele nos governe. A humildade é uma marca de Jesus e foi um dos ensinamentos que mais enfatizou. Os pecados que nos prendem, talvez continuem a nos prender, até que enfrentemos o nosso ego. O que tem adoecido nossas igrejas e a cada um de nós, tem mais a ver com ego que com sexo. E até que os egos sejam submetidos a Cristo, talvez não melhoremos em relação a sexo.