Grupo de Orações online

Domínio próprio (Devocional – 12 de Março)

“Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.” (Gálatas 5.22-23)

A vida cristã não faz uma proposta que agrada aos acomodados, aos que vivem justificando a si mesmos. Aos adeptos da filosofia do “eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim”. Se o Reino de Deus chegou a nós, as coisas mudam, principalmente dentro de nós. Nossa sociedade está cansada de católicos e evangélicos. Talvez mais de evangélicos que de católicos. Muitos já olham com má vontade para mais um templo sendo inaugurado. Temos pessoas públicas e em todos os setores da vida social que denominam-se evangélicas, mas que são uma contradição do Evangelho. Semanalmente multidões vão aos templos, cantam, oram, ouvem pregações e dão “glória a Deus”. Manifestam-se animados pelo “amém igreja?” que virou vício de pregadores e dirigentes de cânticos. Mas são pobres de vida e de ética. Isso não é o que propõe a fé cristã. Isso é um desvio dela!

Ser cristão é ser surpreendido pelo amor de Deus e render-se. É descobrir e crer, mesmo impressionado por tanta graça, que Deus agora está presente para sempre na vida diária. É ser alimentado pelo perdão e aceitação que nos deixam livres para voluntariamente nos entregar, pouco a pouco, decisão a decisão, dia a dia, aceitando obedecer e honrar a Deus. Uma decisão que terá vários custos. Algumas vezes bem baratos e outras, bem caros e difíceis de pagar. Mas que pagamos e nos alegramos de tê-lo feito! Ser cristão é descobrir a aritmética do amor de Deus pela qual, menos de mim e mais de Deus resulta sempre em mais de mim para glória de Deus. E então aprendo a ser servo de Cristo e, ao mesmo tempo, senhor de mim.

Isso mesmo. Um cristão está se tornando senhor de si mesmo. Um cristão não é alguém sem vontade própria, sem postura e personalidade. Mas alguém que tem voz e voto nas deliberações da própria vida. E delibera em acordo constante com Deus. Com a ajuda e influência de Deus segue aprendendo ai assumir responsabilidades sobre as próprias escolhas e não cobra de Deus nenhum ato de submissão a Ele. É alguém que está descobrindo a benção suprema: viver neste mundo como um filho amado de Deus. Por isso Jesus diz que este é o servo que ouvirá: “Muito bem! Você foi fiel no pouco e eu lhe darei muito” (Mt 25.21). Por isso domínio próprio, capacidade de governar a própria vida, é sinal da presença do Espírito Santo em nossa vida!