Grupo de Orações online

Com o Reino, por dentro e por fora! (Devocional Diária – 15-Out)

“Respondeu Jesus: ‘Quem já se banhou precisa apenas lavar os pés; todo o seu corpo está limpo. Vocês estão limpos, mas nem todos’. Pois ele sabia quem iria traí-lo, e por isso disse que nem todos estavam limpos.” (João 13.10-11)

Jesus havia dito que, se não lavasse os pés de Pedro, Pedro não teria parte com Ele. Diante disso o apóstolo cedeu, pois até então não considerava adequada aquela atitude do Mestre. De resistente à ideia, Pedro adotou outra atitude: a de quem poderia contribuir com ela. Disse a Jesus: “já que é assim, então lave também minhas mãos e minha cabeça!” Talvez quisesse enfatizar sua firmeza e compromisso: “conte sempre comigo!” Mas é possível também que Pedro tivesse interpretado aquela cerimônia como um rito, algo apenas simbólico. Neste caso Jesus não estaria realmente “lavando os pés”, mas apenas ensinando uma lição. Jesus resistiu à proposta de Pedro. Ele não estava “simbolizando” algo. Ele estava servindo diante de uma oportunidade, de uma necessidade.

Jesus e os discípulos haviam chegado da rua e iriam jantar. Se estivessem sendo recebidos numa casa haveria um servo para lavar os pés deles, mas não era este o caso. Outros evangelistas localizam este jantar num cenáculo – uma sala no andar superior que era cedida ou alugada para ceias ou reuniões. Assim, cada um deveria lavar os próprios pés ou comer sem faze-lo pois ninguém queria ser o servo que faltava! Mas Jesus quis. Ele veio para servir e não num sentido figurado! Ele subverteu a ordem e o costume. O Reino de Deus faz isso! Nossa vida se organizou em contradição ao Reino de Deus. Entre nós esse Reino promoverá uma contradição ao nosso. Repetir o ato de lavar os pés numa cerimônia não é essencial. Mas se dispor a servir, agindo com humildade em favor do próximo é.

Na sequência do diálogo Jesus aproveita e faz uma transição entre a condição física e a espiritual de uma pessoa. Judas, fisicamente, estava como Pedro, mas espiritualmente, não. “Vocês estão limpos, mas nem todos”, disse Jesus. E estava se referindo a Judas, cujo coração estava sob a influência do Diabo (Jo 13.1). Essa era a sua impureza. As impurezas espirituais são questões interiores, dizem respeito a intenções, propósitos e vontades desviadas de Deus (Mt 15.18-20). A luta espiritual em que estamos envolvidos acontece dentro de nós. Vencê-la é uma questão de submissão a Cristo e de resistência à nossa própria natureza. Estar limpo e ter atitudes de um servo são valores fundamentais da vida no Reino!