Grupo de Orações online

Amar e ser (Devocional – 16 de Abril )

“Este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram as trevas, e não a luz, porque as suas obras eram más.” (João 3.19)

Na vida cristã nada tem valor sem amor. Temos considerado isso diversas vezes e nos referenciado especialmente em 1 Coríntios 13. Lá Paulo diz que, sem amor, coisas, as mais espetaculares aos nossos olhos, não tem valor algum. Este é o nosso problema fundamental: o amor. E por isso é a resposta fundamental para nossos problemas. Jesus disse que amar é o maior de todos os mandamentos. Amar a Deus e ao próximo. Em Gálatas lemos que toda a lei se cumpre num só mandamento: amar o próximo como a nós mesmos! (5.14). Em Romanos lemos que o amor é o cumprimento da lei (13.10). Por isso João disse ousadamente: “Deus é amor e quem não ama não conhece a Deus” (1 Jo 4.8).

Por tudo isso é que Jesus definiu o julgamento como o fez no texto que lemos. Ele disse que o critério é a direção que damos ao nosso amor. O que amamos nos define e ao mesmo tempo declara quem somos! Veja que há uma relação entre o estilo de vida (obras más) e a rejeição à luz e o amor às trevas. Amar mais a luz que as trevas traria como resultado mudanças das obras. Mudar não é condição para se amar a luz e nem as obras más um impedimento. É o amor que define tudo. Minhas obras podem ser más, mas eu posso amar mais a luz e deixar que ela traga a mudança. Se não é a luz que nos molda, as trevas moldarão. Ambas são imagens de duas realidades: submissão a Deus e à Sua vontade (luz) e autossuficiência e viver segundo nossa própria vontade (trevas).

A vida é um constante “vir a ser”. Estamos nos tornando alguém diariamente e o que mais amamos é o que mais define quem seremos. Um dia estaremos prontos, formados, de alguma maneira. Para nossa felicidade ou infelicidade. Tendo sido guiados por Deus ou tendo seguido outros deuses que se disfarçam de “nós mesmos”. Tendo amado mais luz ou amado mais as trevas. É como se o julgamento estivesse em curso e o veredito estará escrito em quem nos tornaremos aos olhos de Deus. Isso tudo é tão sério que Deus enviou Seu Filho. Ele veio buscar a salvar aqueles cujas obras são más, mas que escolhem amar mais a luz. Ser malvado é nossa especialidade. A de Jesus é salvar malvados, ensinando-os a amar o que ainda não são (luz), para que possam vir a ser quem, sozinhos, jamais seriam!