Grupo de Orações online

A vida na igreja (Devocional – 24 de Junho)

“E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo.(…) E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado”  (Efésios 4.7, 11 e 12)

A fé cristã é pessoal, mas não é individual. Ela adoece quando somos levados a uma vida superficial ou individualista. Para ser saudável ela precisa de profundidade, coração e mente, propósitos e intenções. Nossas ações, liturgias ou ritos somente serão verdadeiramente cristãos se forem reflexos do que nos habita. Ser cristão é ser parte de alga maior: o Reino de Deus. Que se manifesta na história pelo Corpo de Cristo, que é a comunidade de fé. Ser alcançado por Cristo é ser incluído na comunidade dos alcançados, para servir e crescer. Todos temos um papel e um lugar nela, não segundo nossas ambições, mas de acordo com a vontade de Cristo, que é a cabeça do corpo. No reino dos homens, nosso lugar depende do nosso talento e de nossa luta para alcançar a posição pretendida. No Reino de Deus não: nosso dom conta, mas é a vontade de Cristo que determina.
Uma comunidade de fé não deve ser um lugar de ambições humanas, da hierarquia do orgulho. Nela o que há é serviço, ministério. Não importa onde esteja, você é apenas um servo. Conforme o dom e segundo a vontade de Cristo, cada um de nós tem um lugar para servir. Ninguém tem motivos para gloriar-se de seu serviço ou de seu lugar no corpo. Ninguém tem motivos para se ressentir de seu serviço ou se seu lugar no corpo. Se isso acontecer é porque ainda não entendemos o significado de sermos Corpo de Cristo. Somos todos importantes e nosso Mestre graciosamente nos incluiu em seu corpo para servirmos de todo coração. Como Paulo ensinou aos coríntios, “Há diferentes tipos de dons, mas o Espírito é o mesmo. Há diferentes tipos de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. Há diferentes formas de atuação, mas é o mesmo Deus quem efetua tudo em todos. A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito, visando ao bem comum.” (1 Co 12.4-7)
A igreja tem a vocação de manifestar a vida como ela é no Reino de Deus. Deve cumprir o papel de Corpo de Cristo na história! Seu alvo não é o tamanho, é a saúde. Como cristãos somos chamados pra o Reino e entregues à igreja como dádivas para o serviço. Precisamos superar o egoísmo e aprender o altruísmo, interessando-nos pelos anseios dos outros e não apenas pelos nossos. Precisamos ter visão mais saudável de nós e nos libertar de ambições egoístas. A humildade deve ser cultivada de modo a preferirmos dar honra aos outros e não a nós mesmo. Servindo assim, aprenderemos e ensinaremos outros a servirem. E uma igreja é saudável e cristã, e cresce para glória de Deus e não para a vaidade humana, quando é constituída assim, de servos. Não somos clientes, associados e muito menos consumidores. Não se trata da nossa vontade, mas da vontade de Deus em Cristo! É desafiador, mas é esse padrão de vida para uma igreja cristã.