Grupo de Orações online

A perspectiva da fé em Cristo (Devocional Diária – 26-Set)

“Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé.” (Filipenses 3.8-9)

Perspectivas. Elas fazem muita diferença no modo como vivemos. Nossa perspectiva tem a ver com o nosso ponto de vista, o modo como vemos a vida e compreendemos as situações. Ela se forma a partir do que nos ensinam e do que aprendemos por nós mesmos. Ela se fortalece por experiências e escolhas. Pode ser determinada por ganância, egoísmo, medo, frustração, assim como por amor, gratidão, fé… e cada uma dessas forças estabelecerá uma perspectiva diferente, que nos levará a viver de forma diferente. Paulo está nos falando de sua perspectiva de vida. Ela nem sempre foi a que ele declara neste texto, pois Cristo mudou tudo. Sua fé em Cristo o levou a profundas mudanças. E ao dizer isso nos leva a perceber que a fé em Cristo muda perspectivas.

Na nova perspectiva de Paulo nada nem ninguém é mais influente que Cristo. Não há vida sem Cristo e ele não quer correr o risco de que alguma coisa o afaste de Cristo. Ele quer ser “encontrado nele” ou seja, que viver pela mesma perspectiva que Ele. Alguém poderia dizer: “Quem é você Paulo? Você nunca será como Jesus!” Mas nessa nova perspectiva, Jesus é determinante e não Paulo. E o apóstolo está dedicado a quem ele pode ser “com” Jesus e “por causa” de Jesus. Não se trata do quanto ele conseguiria ser justo, mas de ser justificado pela fé em Cristo. E ele compreendeu que isso envolveria o que ele pudesse fazer, suas escolhas. Então decidiu que colocaria Cristo no topo, na mais alta posição em sua vida. Pela fé ele poderia viver da retidão e amor do Filho de Deus. Ele poderia ser incluído na vida de Cristo e assim ser encontrado nele.

A declaração de Paulo pode soar como um voto de pobreza e de completa desconexão com o mundo a nossa volta. Essa compreensão está exemplificada na história e nas atitudes de ainda hoje. Se diferenciam dos demais pela exclusão do mundo. Mas não é tão fácil assim. É mais profundo, desafiador e sutil: diz respeito a possuir, desfrutar, exercer a profissão e o que mais quisermos acrescentar, mas tudo sob o princípio da submissão a Cristo. Tudo orientado pelo anseio de, como Paulo, “ser encontrado nele”. Diz respeito a viver no mundo por valores superiores ao do mundo. A transformar-se pela renovação do modo de pensar e em meio a um mundo confuso sobre Deus e descrente, experimentar e comprovar a boa vontade de Deus, tornando-se luz no mundo. A fé em Jesus é assim: determina uma nova perspectiva para a vida que vivemos. Se a nossa não chega a tanto, que fé em Cristo é essa que temos?