Grupo de Orações online

A paz de Deus (Devocional – 25-Fev)

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus.” (Filipenses 4.7)

Dev215A paz de Deus não é a única paz possível neste mundo. Há outras das quais podemos nos beneficiar. Mas a paz de Deus é a única paz verdadeira. As demais são circunstanciais. Podem nos faltar tão rapidamente quanto as circunstâncias mudam. Uma notícia, um acidente, um desentendimento, uma perda e lá se vai a paz que nos alegrava. A paz de Deus é de outro tipo.  A paz de Deus é a paz de quem sabe que está nas Mãos de Deus. Jesus, diante de Pilatos, disse: “Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado” (Jo 19.11) em outras palavras, “eu não estou em suas mãos Pilatos, estou nas mãos do Pai”. E Jesus alí, diante de acusações e sob a tutela do governante romano, estava em paz. Precisamos dessa paz e Deus a tem para nós. Uma paz que vem de Deus.

Ser cristão é, por definição, estar nas Mãos de Deus, pois significa entregar-se a Deus. Mas nem sempre é como vivemos ou nos sentimos. Somos frágeis e perdemos facilmente o equilíbrio. Somos também negligentes e não praticamos nossa vida de fé como deveríamos. Falta-nos a sabedoria de quem teme a Deus e sobra-nos a presunção de quem acha que O conhece. E aí, quando chegam as aflições, próprias desta vida como disse Jesus (Jo 16.33), ficamos perdidos. Para desfrutarmos a paz de Deus nesta vida de incertezas, precisamos de algumas certezas. A primeira é a certeza de que somos amados por Deus. E Ele já provou Seu amor por nós (Rm 5.8). Precisamos da certeza de que Deus sabe o que está fazendo, tem boas razões quando não faz o que pedimos, e que, mesmo quando não entendemos, podemos confiar em Sua vontade para conosco (Rm 8.28). Na teoria sabemos tudo isso. Mas, como se diz, na prática a teoria é outra!

Precisamos fortalecer nossas certezas, confirmando nossa entrega de vida a Deus. Isso envolve arrependimento, suplicas e angústias, pois escava nossa alma. Deus não se contenta com palavras e não aceita mentiras sobre nós. E temos muitas e muitas ilusões. Antes de dizer a Pilatos o que disse, Jesus havia orado: “Não seja como eu quero, mas como Tu queres”(Mt 26.39). Como é difícil essa oração! Mas não há paz de Deus sem confiança na vontade de Deus. Ele sabe que nos falta isso, mas é amoroso e paciente. Ele sabe que somos pó! Ele é compassivo e cheio de misericórdia. Ele nos deu o Seu Espírito para nos guiar. Ele quer que tenhamos paz e não dependamos das circunstâncias para isso. Ande mais com Deus, entregue-se mais e confie mais. Um pouco de cada vez, mas de forma verdadeira. Ele mesmo fará Sua obra em nós e a completará (Fl 1.6), até que a paz de Deus nos guarde, coração e mente, em Cristo Jesus.